Dicas de leitura

Os livros preferidos do Vale do Silício, de Zuckerberg a Tim Cook

Romances consagrados, histórias de superação e análises políticas do mundo contemporâneo estão na lista dos livros dos mais influentes no Vale do Silício

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Quando não estão ocupados em idealizar e criar no Vale do Silício, os membros da alta cúpula de executivos de tecnologia gostam de ler sobre os mais variados assuntos. Romances consagrados, histórias de superação e análises políticas do mundo contemporâneo estão na lista de leitura dos mais influentes no mundo da tecnologia.

Confira, a seguir, as recomendações de leitura que Mark Zuckerberg, Tim Cook e outros grandes nomes do Vale do Silício deram à NBC.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook

Os últimos dias da noite, de Graham Moore.

PUBLICIDADE

Os últimos dias da noite é romance sobre quem realmente inventou a lâmpada. O autor é o roteirista por trás do filme vencedor do Oscar “The Imitation Game”. Moore, durante a narrativa, apresenta as histórias entrelaçadas de Nikola Tesla, Thomas Edison e George Westinghouse, durante a chamada Guerra das Correntes, uma gigantesca guerra tecnológica e judicial envolvendo esses inventores e magnatas.

Para Zuckerberg, que está sofrendo fortes críticas sobre o domínio do Facebook na internet, recomendar um livro sobre um inventor que expulsa seus rivais para proteger seu monopólio é no mínimo interessante.

Sheryl Sandberg, COO do Facebook

O momento de voar, de Melinda Gates

Em “O momento de voar”, Melinda apresenta detalhes sobre o começo do relacionamento com Bill – o convite dele para sair, as disputas de quebra-cabeças e jogos de matemática que costumavam fazer -, mas o foco está mesmo no caminho que une filantropia a uma preocupação genuína com as mulheres, sobre a importância de empoderar as mulheres e como essa ação pode mudar o mundo.

Tim Cook, CEO da Apple

Quando a respiração se torna ar, de Paul Kalanithi

Quando um jovem neurocirurgião de Stanford é diagnosticado com câncer de pulmão, ele se propõe a escrever um livro de memórias sobre mortalidade, memória, família, medicina, literatura, filosofia e religião. É uma autobiografia que não fala só de doença e morte, mas como sua percepção mudou ao longo do tempo em que lidava com uma realidade diferente. O livro não foi escrito para deixar o leitor triste ou deprimido, mas sim para dar uma oportunidade de observar as reflexões de alguém que viveu os dois lados do câncer.

PUBLICIDADE

Invista seu dinheiro com segurança. Abra uma conta na XP Investimentos – é grátis

A marca da vitória, de Phil Knight

Um livro de memórias do criador da Nike, Phil Knight. O livro trata-se de uma auto-biografia do fundador da Nike, que teve a ideia da companhia os 24 anos, traçando sua trajetória até a década de 1980. Ele retrata sobre sua família, tudo o que foi conquistado e o que foi deixado para trás ao ingressar nesta motivação de vida, que hoje chama-se Nike.

Dawn Ostroff — CCO do Spotify

A menina da montanha, de Tara Westover

Tara Westover, crescida nas montanhas de Idaho, em uma família de ‘sobrevivencialistas’, só foi pisar em uma escola aos 17 anos de idade. Mesmo assim, ela conseguiu se tornar pHd na Universidade de Cambridge. O livro reúne uma serie de relatos autobiográficos sobre suas experiencias com a educação, desde seu primeiro contato com a escola até sua vida na academia, rodeada pelos maiores nomes de Cambridge.

Evan Spiegel — CEO do Snap

Mortal Republic (sem tradução para português), de Edward Watts

O livro, escrito por um historiador de Harvard, retrata como a antiga capital do Império Romano, Roma, começou a ruir e trocou a república pela tirania.

Jeffrey Katzenberg – cofundador da DreamWorks

21 lições para o século 21, de Yuval Noah Harari

Em seu último livro, Noah Harari, autor de Sapiens – uma breve história da humanidade, aborda os desafios tecnológicos e políticos que os humanos terão de enfrentar no século XXI.

White working class (sem tradução para português), de Joan C. Williams
Escrito pela jurista e socióloga americana Joan C. Williams, White Working Class é uma narrativa que esboça um retrato de milhões de pessoas em todo o mundo que provaram ser uma força política poderosa. Para qualquer um que esteja interessado com o aumento da relevância de lideranças nacionalistas e populistas, o livro explica de forma clara o renascimento desse movimento político ao redor do mundo.

Confira também as dicas de leitura de outros grandes nomes do mundo dos negócios, como Bill Gates e Guilherme Benchimol.